A 18 de outubro, realizam-se as eleições para o Conselho Nacional e para o Senado na Suíça. Trata-se de uma decisão crucial: Queremos isolar-nos da Europa e do resto do Mundo? Queremos tratar empresas grandes e ricos de forma priviligiada? A nossa resposta é Não. Queremos distribuir de forma mais justa o bem estar alcançado conjuntamente. Porque a Suíça só é forte, se todos estiverem bem e não só alguns.

Espaço habitacional acessível para todos
Continuamos a empenhar-nos para que haja espaço habitacional e comercial suficiente e a preços acessíveis para todos. Através da especulação, a terra fica cada vez mais cara e, deste modo, também as rendas de casa. Finalmente, queremos pôr fim a este desenvolvimento perigoso.

Direitos de Cidadania e participação política para todos
Todos os cidadãos que pagam os seus impostos na Suíça e que beneficiam do nosso serviço público, devem também, em contrapartida, participar na responsabilidade política e poder recorrer aos plenos direitos de cidadania – venham donde vierem.

Não ao racismo e à discriminação
Em muitas situações, os emigrantes ainda estão a ser discriminados – por exemplo, no mercado de trabalho, na procura de casa, ou quando querem fazer um seguro. Continuamos a lutar contra isso.

Solidariedade internacional, paz e democracia
Há muito tempo  que as empresas e o capital são já globais e, agora, chegou a altura de enfrentar as consequências negativas da globalização, trabalhando juntos no âmbito da solidariedade  internacional. Seres humanos que estão a ser ameaçados fisicamente ou com a vida, devem poder contar com a nossa política de asilo.